Entre em contato:

What'sApp: (21) 979640613
E-mail: atendimento@shopmedical.com.br
Visite nossa loja: www.shopmedical.com.br

sábado, 13 de agosto de 2011

Pais e mães acordam mais cedo para vacinar filhos e defendem imunização


Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil
Brasília – Muitos pais e mães de crianças menores de 5 anos acordaram hoje (13) mais cedo para vacinar os filhos contra a paralisia infantil. No Distrito Federal, a cena se repete nos principais postos de saúde. As filas longas e, às vezes, demoradas pareceram não incomodar as famílias. A ideia é que nesta segunda etapa da campanha de vacinação 14.148.182 crianças sejam protegidas em todo o país.
Valderene Viera de Souza e o marido Fábio Pereira, pais de Lara Cecília, de 3 anos, disseram à Agência Brasilque não há compromisso nem dificuldade que os impeça de levar a filha para vacinar. A criança é autista – transtorno global de desenvolvimento que afeta a capacidade de comunicação e comportamento.
“A gente sempre trouxe a Lara Cecília para vacinar. É importantíssimo porque ela tem um acompanhamento especial de saúde, então a gente não descuida”, disse Fábio Pereira. A criança estava agitada na fila, mas mesmo assim aceitou receber a gotinha.
O casal Adriana Viana e Mustafá Kazi, pais de Gabriela, de 9 meses, lembraram que jamais perderam uma vacina da filha. “Vale a pena enfrentar a fila e vir bem cedo para vacinar. [Apesar de ser pequenina] ela nunca teve uma reação alérgica”, informou Adriana.
A Secretaria de Saúde do Distrito Federal montou 308 postos de vacinação em centros de saúde, hospitais, escolas, shoppings e supermercados, que funcionarão das 8h às 17h.  O objetivo é imunizar 191.978 crianças - o equivalente a 98% da população-alvo. Cerca de 115 mil postos de vacinação foram instalados em todo o país, envolvendo 350 mil pessoas na campanha.
Para Analea Medeiros, mãe de Rebeca, de 2 anos, levar a filha para vacinar faz parte da agenda de compromissos e não é um incômodo. “É fundamental trazer a criança. Desde que ela nasceu eu trago, e ela nunca apresentou reação nem incômodo”, disse a mãe.  
No Distrito Federal e em municípios de 18 estados  - Acre, Amazonas, Amapá, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe, Santa Catarina e Tocantins - as crianças são vacinadas também contra o sarampo.
No caso do sarampo, as crianças devem ter menos de 7 anos e mesmo que já tenham sido vacinadas anteriormente, devem tomar a segunda dose. Nos outros oito estados do Brasil, elas já foram imunizadas contra doença. A meta do Ministério da Saúde é vacinar  17.094.519 crianças em todo o país.