Entre em contato:

What'sApp: (21) 979640613
E-mail: atendimento@shopmedical.com.br
Visite nossa loja: www.shopmedical.com.br

domingo, 4 de setembro de 2011

Educação Física e a busca pela melhoria da qualidade de vida


Nenhum profissional se importará tanto com a sua qualidade de vida como o de Educação Física. A busca por essa melhor qualidade passa por esse tipo de profissional, que é responsável por evitar, em grande parte, dos problemas de saúde. Principalmente no que diz respeito à evolução saudável do ser humano. 

No último dia 1º, foi comemorado o Dia da Educação Física. O dia a dia desse profissional está voltado à rotina da sala de aula, quando o curso é de licenciatura ou no bacharelado, quando é para atuar em academias ou como personal training. 

O curso de licenciatura forma profissionais para trabalhar na educação básica, ou seja, está diretamente voltado para área da educação. “As pessoas se matriculam nas escolas para aprender ler e escrever letras e números. O objetivo de uma unidade escolar é a formação integral dos alunos, garantindo condições indispensáveis para que os seres humanos em fase de formação possam ampliar seus horizontes, trabalhar suas aptidões e interesses, tornando-se cidadãos aptos a participar de maneira ativa, pacífica e produtiva, dos diversos aspectos da vida social”, comentou a coordenadora do curso de Educação Física das Faculdades Integradas Padre Albino (Fipa), Luciana de Carvalho Leite.

Especificamente no curso de Licenciatura, o profissional trabalha de forma transdisciplinar entendida como o grau máximo de relação entre as diferentes áreas do conhecimento. “Desta maneira, facilita-se uma unidade interpretativa, com o objetivo de constituir uma ciência que explique a realidade sem fragmentações. Uma mesma idéia, um mesmo sentimento, uma mesma informação é tratada pelas diferentes linguagens, oferecendo sustentação na ancoragem de temas, noções e conceitos de disciplinas”, frisou a especialista.

A expectativa é que o mercado possa se abrir com grande possibilidade de retorno por parte dos envolvidos. “Os diversos conhecimentos sobre um objeto, inter-relacionados por um eixo integrador e sob perspectivas e enfoques específicos, dialogando entre si, questionando-se, complementando-se, aprofundando-se, embora continuem a manter sua autonomia, seus objetivos específicos e suas fronteiras muito bem demarcadas, são trabalhadas de maneira sistemática e contextualizada”, comentou a profissional.

Em Catanduva, esses profissionais podem atuar em 67 unidades escolares enquanto na região, são outros 111 pontos. Em Catanduva são mais de 150 professores, sendo na região mais de 300.

“Estamos vivendo um momento muito propício para o profissional de Educação Física, já que teremos os dois principais eventos esportivos no mundo sendo realizados no Brasil, a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Portanto, é um profissional que tende a ter uma boa valorização”, falou a coordenadora.

Por ano, são aproximadamente 60 profissionais que se formam em Educação Física. “Apesar da licenciatura e o bacharelado serem distintos, os 3º e 4º anos são diferenciados. O curso é montado dessa maneira”, falou.

MEC renova reconhecimento do curso de Licenciatura em Educação Física das FIPA

A Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação, através da Portaria nº 297, de 28 de julho de 2011, renovou o Reconhecimento do curso de Licenciatura em Educação Física das Faculdades Integradas Padre Albino (FIPA).

Instalado em 1973 como Licenciatura Plena, há 38 anos, portanto, o curso de Educação Física das FIPA está na sua 36ª turma e formou nomes de destaque na área como Eduardo (Dudu) Silva, preparador físico do Corinthians, a ex-jogadora de basquete Hortência, o técnico do Catanduva Basquete, Edson Ferreto, entre tantos outros.

Em 2005, a Portaria nº 2.285 do MEC renovou o reconhecimento do curso como Licenciatura e em 2010 foi instalado o curso de Bacharelado em Educação Física, através da Portaria nº 2.185.

FUTURO

“Em Catanduva, há bom campo de trabalho”, diz estudante

Os futuros profissionais de Educação Física vislumbram boas oportunidades no mercado de trabalho de Catanduva. “Temos várias academias bem estruturadas que podem sim absorver a quantidade de profissionais que entram no mercado de trabalho todos os anos”, comentou o estudante João Eduardo Bossolani.

A jovem Priscila Morelato também está na expectativa de poder desempenhar um bom papel profissional quando se formar. “Tanto o Bacharelado quanto a Licenciatura são ramos que podem ser explorados não só em Catanduva, mas como em toda a região”, comentou.

Viés educacional para quem pretende atuar em vários segmentos

O profissional de Educação Física que opta pelo bacharelado é responsável por formar profissionais para trabalhar em academias, clubes, postos de saúde, como personal trainer, centros comunitários, hotéis, associações recreativas, empresas, ou seja, está diretamente voltado para a área não escolar.

“Tem como principal objetivo a formação para atuar no planejamento, condução e avaliação de programas de atividade física e saúde para grupos de crianças, jovens, adultos e idosos em condições normais e especiais e, também, para a pesquisa”, continuou a professora.

As pessoas procuram esse profissional para melhoras sua vida e para intervir na sua condição física, avaliando seu condicionamento físico, seus componentes funcionais e morfológicos e buscando a execução técnica de movimento, objetivando prevenir ou reabilitar.

“O profissional bacharel em Educação Física é capaz de compreender o binômio saúde/doença no contexto da saúde coletiva, desenvolver ações de prevenção, promoção e proteção da saúde em nível individual e coletivo, diagnosticar as necessidades das pessoas de modo a planejar, prescrever, ensinar, orientar e avaliar projetos e programas de atividades físicas, recreativas e esportivas”, destaca. 

Diferenciação

Apesar da diferenciação, os dois cursos contemplam conhecimentos biodinâmicos da atividade/movimento humano, comportamentais e sócio-antropológico. “A licenciatura tem por objetivo formar profissionais que saibam utilizar a especificidade da Educação Física como meio para a educação integral das pessoas. Já o bacharelado está baseado na formação de ordem técnica onde o profissional a ser formado será aquele apto a planejar, organizar, executar e avaliar atividades físicas de lazer, esportivas, dentre outras. Isso nos leva compreender que são formações complementares, por que a pedagogia, a didática e a educação estão presentes nas ações profissionais do bacharel, assim como as ações de ordem técnica permeiam as praticas pedagógicas na escola”, salientou.  

Alunos de Educação Física: profissão do futuro

Saiba mais...

A história da educação física relaciona-se com todas as ciências que estudam o passado e o presente das atividades humanas e a sua evolução. O homem, condicionado à situações de ser pensante, desempenhou, em todas as etapas da vida, um papel importante na história da educação física, a qual se propõe a investigar a origem e o desenvolvimento progressivo de suas atividades físicas, através do tempo: sua importância, as causas de seu apogeu e da sua decadência.

A educação física evolui à medida que se processa a evolução cultural dos povos. Assim, a sua orientação no tempo e no espaço está em sintonia com os sistemas políticos, sociais, econômicos e científicos vigentes nas sociedades humanas.

Na Pré-História havia a preocupação do desenvolvimento da força bruta, sob o ponto de vista utilitário-guerreiro, sem ideia definida do ponto de vista moral.

Na Antiguidade, os gregos, entretanto, mais evoluídos, visavam ao desenvolvimento físico e moral do homem. Nesse período, a educação física visava o aspecto somático, harmonia de formas, musculatura saliente, sem exagero, de onde surgiram os atletas de porte esbelto. É a fase anatômica da educação física. Já entre os romanos, que herdaram com a conquista da Grécia as atividades físicas dos gregos, em plena decadência, orientavam a educação física, objetivando o desenvolvimento das massas musculares. Pouco se dedicavam à cultura intelectual e muito menos a da moral.