Entre em contato:

What'sApp: (21) 979640613
E-mail: atendimento@shopmedical.com.br
Visite nossa loja: www.shopmedical.com.br

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Só 2% dos infartados souberam reconhecer os sintomas


Orientação do Ministério da Saúde é que a população mantenha um hábito saudável de alimentação. Quando houver indícios dos problema o melhor é chamar o Samu 192
Aperto no peito espalhando para o braço esquerdo, suor em excesso e perda da consciência. Esses são os sintomas clássicos de um infarto, que nem sempre são identificados, de acordo com pesquisa do Datafolha, com a Sociedade Brasileira de Cardiologia. Dos mais de 600 entrevistados que já sofreram um infarto, apenas 2% souberam reconhecer os indícios problema. De acordo com o coordenador-geral de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde, Paulo Abrahão, nem sempre é fácil reconhecer a situação. Para ele, a melhor opção é ligar para o Samu 192.
"Os profissionais do Samu chegam ao local, com a ambulância, e conseguem fazer o atendimento e o tratamento precoce também", afirma Abrahão.  As unidades do serviço também estão sendo equipadas com o tele-eletrocardiograma que transmite por celular as informações cardíacas do paciente. Uma parceira com o Hcor (Hospital do Coração) permite a leitura e o envio de diagnóstico em instantes.
A enquête da SBC foi, realizada entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011, em seis capitais (de SP, RJ, PR, BA, PA e GO)
Quem possui problemas cardíacos, é diabético, obeso ou leva uma vida sedentária têm sempre mais chances de sofrer um infarto. Segundo a Organização Mundial de Saúde, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Uma pessoa é considerada hipertensa quando a pressão é igual ou superior a 14 por 9.
COMO EVITAR  - Um quarto da população brasileira tem pressão alta, segundo o Ministério da Saúde. A proporção de hipertensos é maior entre as mulheres. Mas o problema pode ser evitado com a mudança de hábitos alimentares.
 
De acordo com a coordenadora do Programa Nacional de Hipertensão do Ministério da Saúde, Rosa Sampaio, diminuir o consumo de sal é a principal medida a ser tomada. “A quantidade de sal recomendada é seis gramas por dia, o equivalente a quatro colheres rasas de café”.

Outra mudança importante é escolher melhor o que comer. Essa atitude é essencial para evitar problemas de saúde e não pesa no bolso. Basta preferir saladas e legumes e usar outros tipos de tempero como azeite e vinagre para dar sabor aos alimentos. Também evitar guloseimas doces, que também são ricas em sal.
 A coordenadora do Programa Nacional de Hipertensão do Ministério da Saúde ressalta ainda que a hipertensão sem tratamento pode levar a pessoa a um acidente vascular cerebral ou infarto.